domingo, maio 15, 2011

Mais um milagre de fátima...

Quantos mais sinais de hipocrisia poderá a mentira institucionalizada, também conhecida como religião, continuar a exibir para quem quiser "ver"?
13 de Maio, aparição da virgem aos pastorinhos...sim senhor, bonito, construir um fenómeno religioso através de uma "história" contada por 3 crianças. Imaginemos, então, na actualidade: se, por exemplo, 3 crianças se juntarem para contar uma história, digamos, sem base alguma na realidade...serem penetradas via anal, contra a sua vontade, repetidas vezes, por adultos, numa casa de "Elvas" (envolvendo personagens centrais do governo Português e afins, sendo que a identificação dos mesmos levaria a um abalo significativo na estrutura e credibilidade (mais) da "elite" política Portuguesa), as culpas, se atribuídas, não recairiam apenas em personagens secundárias da pirâmide, exilando-se alguns dos "jogadores principais" no estrangeiro ou em conselhos da administração de empresas nacionais, para posteriormente reaparecerem estrategicamente para "salvar" o País do poço sem fundo em que se encontra, quais heróicos Sebastiões. Os culpados seriam eficazmente responsabilizados e punidos, em vez de protegidos.

Poderia ser assim, de facto....infelizmente, continua-se a dar mais importância ao testemunho de 3 crianças que foram apanhar silarcas e comeram os cogumelos errados do que às "outras", que não interessam assim tanto e afinal de contas já andavam na prostituição desde pequenos e se levaram no cú foi porque queriam...
Depois desta pequena introdução, escrevo então sobre o motivo que me levou a escrever, nada relacionado com o anterior. Quase nada relacionado com o anterior, rectifico.
Aproveitando a primeira frase deste poste:
Quantos mais sinais de hipocrisia poderá a mentira institucionalizada, também conhecida como religião, continuar a exibir para quem quiser "ver"?
Ao que parece, segundo o fiel correio da manhã, a mendincidade é um "factor de preocupação" para a Igreja, mais concretamente no santuário de Fátima. Assim, reforçaram o contingente policial especialmente para o controlo de pedintes, para além de por todo o santuário estarem espalhadas PLACAS que informam sobre a PROIBIÇÃO deste acto altamente pecaminoso aos olhos da igreja que automaticamente levará o herege pecador ao agoniante rio de fogo do inferno onde sofrerá para toda a eternidade.
Pergunto eu, a igreja impedir pessoas de pedir...medo da concorrência? Com que moral é que a igreja vem proibir aqueles que pedem, seja para o que for!? A maior instituição assumidamente pedinte durante séculos e mais séculos, faz-lhe confusão os mendigos...se for uma criança a pedir aposto que já não faz muita impressão, até lhe arranjam "abrigo" e "bem-estar"...porque eles preocupam-se...

terça-feira, fevereiro 08, 2011

O que poderá ser mais paneleiro que ter um gato como animal de estimação?

Ter dois.
A noite ia já longa, avançando pela madrugada dentro como Renato Seabra pela zona testicular de Carlos Castro. José Manuel dirigia-se a seus aposentos para um merecido descanso depois de um longo turno no Hospital, onde doentes suavemente insanos decidiram jogar damas com excrementos frescos recolhidos de arrastadeiras várias, totalizando assim um pout-porri de merda com diferentes cheiros, consistências e cores.
O velhote da cama 345b, após reflectida introspecção, decidiu que a existência de fios ao seu redor não era, de todo, apropriada para uma vida hospitalar plena, pelo que puxou, arrancou e desligou tudo o que conseguiu até não restar nada mais que um cortinado preso agora por apenas 3 frágeis argolas. Entre os "fios" que arrancou e puxou, constavam uma linha central em veia profunda, uma algália de elevado calibre (grossa portanto. Daquelas que arranha só de olhar para ela e pensar que vai penetrar por um meato adentro. Completamente fora de contexto: uma vez que o hábito de ouvir conversas alheias está em mim enraizado, já por algumas vezes tive oportunidade de ouvir o termo "aRgália". Depois de arremessar um fósforo aceso para cima destas pessoas na eterna esperança que alguém as tenha regado previamente em gasolina, aumento o volume dos phones e imagino arco-íris e unicórnios para me distrair da dor), o que inevitavelmente fez com que esse mesmo senhor transformasse uma aparente cama de hospital normal numa piscina de hidromassagem do mais moderno. E com isto quero dizer que jazia afogado no seu próprio sangue. A parte da hidromassagem ficou a cargo dos impulsos nervosos que ainda lhe percorriam o corpo e faziam com que as suas pernas, ritmicamente perfeitas devo acrescentar, fossem tendo espasmos periódicos.
Isto e mais numa tarde, num turno das 16 às 0:30. Mas fujo do que me leva a escrever.
José acabara de estacionar o seu automóvel. O motor, obviamente ainda quente, contrastava com a noite que se fazia sentir, mais gélida a cada instante passado. A poucos metros de finalmente introduzir a chave na fechadura e poder deliciar-se com água quente com o mágico poder de retirar os males hospitalares entranhados no corpo, José repara numa pequena figura, não maior que uma garrafa de água (1,5L), recolhida sobre si mesma, num muro adjacente à casa do vizinho, por sua vez contígua à de José. Um gato. Um gato pequeno, assustado, visivelmente deslocado do seu habitat natural (gatinho de ter em casa, daqueles que o acto de visitar o quintal é uma aventura repleta de perigos e maravilhas). Para além de assustado, encontrava-se rodeado de arame farpado mais ferrugento que o abrir de pernas da Odete Santos. Arame farpado com origem militar, agora permanecido e rebaptizado como arame farpado universitário.
José, sendo a pessoa íntegra e de bons costumes que é, com uma educação exemplar, apesar de odiar a espécie felina, não poderia passar indiferente aos miados aflitos daquela sofredora criatura. Para além disso, José estava com a sua mais que tudo, e nunca é demais marcar pontos com as gajas.
Assim, escadote montado, luva de carregar lenha na mão (que o bicho podia saltar-me para cima todo assanhado e querer-me vazar a vista), iniciou-se então um processo gradual de aquisição de confiança, com muita festinha e conversa estúpida e pointless com o bicho em questão, sabendo de antemão que o mesmo não iria compreender (não sou uma solteirona de 45 anos).
Depois de afastar o arame farpado que ameaçava a integridade física do bicho, lá me deixou resgata-lo do muro, qual super-homem da bicharada, desci do escadote, vitorioso, enquanto o, vamos chamá-lo, Fifinho, cravava as suas unhas cada vez mais fundo na luva, que começava a revelar-se nada apropriada para o trabalho em questão.
Uma vez que o quintal de meus aposentos está separado do quintal do vizinho (a quem deduzi que pertenceria o animal, após minuciosa análise do terreno. Factos: O bicho estava imóvel num muro, sem nada para trás ou para a frente. Esse muro encontrava-se a uma distância de cerca de 4 metros da varanda anterior do vizinho. Esse vizinho é o mesmo que ouvi aí há uns tempos a praticar o bonito acto do coito, mas só entre homens, que me fez chorar durante 3 dias enquanto ouvir os melhores êxitos de Celine Dion. 2 + 2 ainda é 4 e como os panufas é que vão gostando de ter gatos como fieis companheiros, decidi devolver o bicho ao seu respectivo poiso) por um muro com cerca de 2,5 - 3 metros de altura, lá decidi que o bicho seria restituído a onde de direito.
Subi a uma armadilha de quedas presente no quintal, no dito muro (antigo canil, que homem que é homem, tem cães, e mais que um, que é mais macho) e qual o meu espanto quando constato que o quintal do vizinho é mais profundo que o meu. O que para mim são 2,5 - 3 metros, para o vizinho é o muro de berlim, sem as óbvias complicações. E, num raro acesso de capacidade cognitiva, pus-me a pensar "os gatos aterram sempre de patas, mas esta merda é alta e aquele gato em Caminha que aterrou todo junto de espinhaço depois de ter sido posto à prova e chumbado é mais que exemplo para a coisa não ser feita assim que ainda hoje lá está a marca." E lá me deitei em cima da armadilha, esticando ao máximo o braço para que o coitadinho do filha da puta do gato, que já me arrancava bocados de pele por esta altura, tivesse uma aterragem tranquila e não magoasse as almofadas nas patinhas. Do lado do meu quintal já só se encontravam as pernas. Abdómen, tronco e braços violavam a santidade da propriedade privada do vizinho. Lá consegui chegar a um meio termo e o gatinho aterrou, são e salvo.
Imediatamente após esta aterragem de sucesso, vindo do nada, com a maior das tranquilidades e estilo emanando na minha direcção um arrogante"sou da casa, quem és tu palhaço?" aparece-me um outro gato, todo branco, figura imponente, bem cuidado, soltando apenas um "miau" como que "bem vindo a casa fifinho".

O que poderá ser mais paneleiro que ter um gato como animal de estimação?
Ter dois.

sexta-feira, outubro 08, 2010

Vão brincar com o caralho.

Então, então, amigos portugueses, que tal está isso hoje? Satisfeitos com a vida? E o que dizer desta chuvinha constante? O Natal está à porta. E a selecção, hã? Será que é hoje que ganha e ficamos todos felizes e contentes por estarmos mais perto de ir ao Europeu? Pois é, pois é...

Então olhem, parece que, depois dos extremamente necessários submarinos para a marinha (880 milhões de euros), dos blindados para o exército (344 milhões de euros, entre 2007 e 2009, que ditou a reforma das saudosas chaimites) e dos carros de intervenção para a PSP (tendo a GNR algumas dezenas deles estacionados desde as missões no Afeganistão e por aí, provavelmente cheios de terra e horrores tais, gastem-se mais 5 milhões de euros), é a vez da força aérea renovar a frota com 5 aviões em segunda mão, num investimento que pode chegar aos 1500 milhões de euros.
E é isto...não sei se chore se pegue numa catana e vare uns poucos de filhos da puta.
Será assim tão necessária este investimento? Numa altura destas? Que fartam-se de pedir sacrifícios, considerados "necessários", derivados única e exclusivamente de repetidos anos de má gestão do erário público por interesses e negócios secundários? Foda-se! Vão brincar com o caralho...

sábado, setembro 04, 2010

Entristece tanto...

Exactamente as mesmas configurações, única diferença no final do site. De .pt para .es, respectivamente:


.pt:
PRVP€ 25.390,00
ISV€ 3.707,89
IVA€ 4.231,67


.es:
Precio del vehículo€ 20.372,17
Descuento€ -1.500,00
Precio final€ 18.872,17

Os espanhóis alem de venderem o automóvel (bem) mais barato, espetam-lhe com um desconto de 1500€(!!!), por cá, somos presenteados, alem do preço mais elevado, com Impostos sobre veiculos e IVA's...carrega PORTUGAL!!!!!!!!!
E a explicação disto? Puta que os pariu a todos...

sexta-feira, agosto 20, 2010

Anti-Social.



Estarei eu, aos 27 anos terrenos, a transformar-me numa criatura anti-social?
Hoje, por exemplo, podia sair, podia ficar até tarde que amanhã estou de descanso, e insiste em residir em mim um sentimento de procrastinação e apatia que, analisando melhor, chega a preocupar.
Por outro lado, sempre que me é possível, e só não ocorre mais vezes por incompatibilidades horárias entre todos os intervenientes, apraz-me e dá-me anos de vida juntar alguns amigos e organizar um jantar, preferencialmente aqui por casa, de modo a estar à vontade, sem limite horário e degustar o que se quer.

Ou então todo este sentimento de ausência nocturna é devido a Évora não me estimular minimamente para sair porta fora e andar à deriva pela cidade descobrindo tudo o que ela deveria ter para oferecer. Concertos espalhados pela cidade? Espectáculos? Vida nocturna? Alguma coisa?
O vazio está para ficar.

terça-feira, agosto 17, 2010

domingo, agosto 15, 2010

Aos antigos frequentadores do centro comercial eborim...


..e restantes habitantes da cidade de Évora, como é ou não do vosso conhecimento, o EX-centro comercial Eborim foi morrendo (assassinado?) aos poucos até restarem apenas os saudosos cinemas Alfas. Em 2008, chega a decisão que a hora da estocada final estaria eminente.
E assim, este outrora espaço de convívio, animação e, ao contrário da actualidade, vida (!), ficou resignado ao abandono e declínio que conhece até aos dias de hoje.
A justificação? Proporcionar melhores condições para uma optimização dos serviços à população, transferindo todos os serviços da PSP espalhados pela cidade para um único local. Ver a notícia de 2008 aqui.
Dois anos volvidos, pautados com total ausência de actividade (com ocasional utilização do estacionamento subterrâneo), na futura "super-esquadra", vamos chamá-la assim, fica agora a ser do conhecimento público que o ano de 2011 será de rejubilo para o Comando Distrital da PSP de Évora, com a inauguração das novas instalações...junto à Ladeira do Seminário.

O QUÊ CARALHO??? Pode perguntar um moderadamente atento leitor depois de cuspir sumo de amoras silvestres pelo nariz num jacto tão perfeito que envergonharia qualquer actor porno experiente em cum-shots. Sim, retribuo com a inocência que tão bem me caracteriza.
As novas instalações do Comando da PSP não serão no EX-Centro comercial eborim, como estava previsto desde 2008 e que, em última análise, precipitou o encerramento do mesmo, mas sim numas novas instalações localizadas a 200 metros das actuais, numa nova urbanização construída junto à muralha do centro histórico. Tem 2500 metros quadrados e terá um custo de 25.000 euros/mês.
300.000€ por ano, e pesquisar estas coisas na net, além da habitual náusea, leva invariavelmente para outros esquemas politico-monetários que caracterizam cada vez mais esta cidade pela negativa. Nomeadamente, qual a urbanização construída junto à muralha na qual ficará alojada esta nova sede da PSP, a que pertence à filha do José Eduardo dos Santos? O que poderá, eventualmente, acarretar esta decisão? Que tipo de apoios assegura o Carniceiro que (des)governa esta cidade? Qual a relação custo/benefício destes 300.000€/ano relacionado com uma sede de comando construída de raiz, sem "senhorios"?
E o que será, então, do espaço anteriormente conhecido como Centro Comercial Eborim?
Um espaço enorme, inaugurado em 1983 (com capacidade para 26 lojas), com localização privilegiada intra-muros, com estacionamento subterrâneo (e o Rossio ali ao lado). Perto de umas das principais portas da cidade, perto do centro da cidade, do comércio, do jardim público, do hospital, do mercado municipal...ficam as lembranças? Partes da minha infância e adolescência foram vividas por ali, onde o pó insiste em se acumular. A escuridão engole agora por completo um espaço onde, num tempo não muito distante, a hipótese de extinção desse mesmo espaço ecoava no ridículo para os trabalhadores de variados sectores que dali faziam a sua vida.
Évora está assim na sua maior parte, este é apenas um exemplo.
RIP Centro Comercial Eborim.

terça-feira, agosto 10, 2010

Sudoeste amorangado


A TVI já assegurou, pelo menos, 3 novas temporadas da "popular" série infanto-juvenil morangos com açúcar.
Aproveitando o cartaz MTV-izado e o já o público habituee do festival Sudoeste (uns 90% de betinhos e meninos de bem com "bué" problemas e cenas maradas, que lutam para sobreviver da extrema exigência do dia a dia na escola privada e das dificuldades acentuadas com que se deparam ao longo da vida com poucos recursos monetários), a cadeia televisiva espalhou câmaras pelo recinto e zona de campismo durante os dias de festival e espera agora reforçar o sucesso já obtido em anteriores versões do programa, com este novo formato. Por dentro dos corredores da estação é já apelidado de reality-drama-juvenilo-problemático-viveavida-férias de verão-festivalaorubro-temoxmexmobuexproblemax.

Podia ser uma notícia real.
Se pensarem em, pelo menos, 10 pessoas conhecidas que foram ao Sudoeste este ano, entre 8 e 9 devem encaixar na perfeição. O cartaz, cheira a MTV que tresanda, e, claro, a morangos, podres, tão podres que sabem e cheiram a esterco mesmo antes de serem alvo de degustação.

Agora chega a tradicional e inevitável parte do "no meu tempo é que era". Mas sim, orgulho-me de ter assistido a um dos melhores cartazes de sempre que já passou pela herdade da casa branca. Em jeito de saudosismo, aqui ficam os destaques de 2000:
Dia 3: Bush, Beck, Placebo.
Dia 4: Moloko, Lamb, bloodhound gang.
Dia 5: Guano Apes, Morcheeba, Oasis (ano em que foram expulsos de palco pelo público) e Da Weasel (o virgula ou reticências ou como se chama entra em palco a fazer macaquices, consegue escorregar e fracturar o fémur. Epic shit).

E é isto. Podia falar sobre o meu ódio a festivais depois de me roubarem tudo o que tinha na tenda em Paredes de Coura em 2001 ou 2002, mas isso fica para outro post.

sábado, julho 31, 2010

A revolução do cinema, na actualidade...


Nos primórdios, o Desenho e a Pintura eram o expoente máximo de representação dos aspectos dinâmicos da vida humana e da natureza, retratando momentos, situações, histórias numa imagem estática para um eventual público. Depois surgiu a fotografia.
O primeiro aparelho com capacidade para mostrar animações ou pequenos filmes ficou conhecido como zoopraxiscópio, patenteado em 1867 lá para as Américas. Em 1890, Thomas Edison inventa o filme perfurado e realiza pequenos filmes no seu estúdio, considerado o primeiro da história do cinema (Black Maria). Filmes esses não projectados em tela mas sim dentro de um aparelho, cinetoscópio, também inventado por Edison. As imagens são vislumbradas por um espectador de cada vez, peep-show style. Pelos lados dA França, os irmãos Lumiére viram o potencial económico e artístico desta invenção Americana e dedicaram o Inverno de 1984 a aperfeiçoar o monstro de tamanho colossal e limitado a um espectador de cada vez e criaram o cinematógrafo em 1895, um aparelho movido a manivela, utilizando negativos perfurados, tornando assim possível a projecção das imagens para um público mais vasto de cada vez. Este aparelho ficou patenteado como o primeiro 3-em-1 da história do cinema, possibilitando filmar, processar o filme e projectar o mesmo, sem estar confinado a um único local, devido às reduzidas dimensões e peso (cerca de 5Kg), quando comparado com o cinetoscópio de Edison.
A primeira projecção "à séria" do aparelho dos Lumiére aconteceu em Paris para um seleccionado número de convidados. A projecção, empregados da fábrica Lumiére em hora de saída da mesma. O primeiro pastelinho de vazio cinematográfico da história.
Mais sessões tiveram lugar e, derivado do nome do aparelho, as salas nas quais ocorriam as exibições ficaram conhecidas como cinemas.
O som aparece 3 décadas depois, no final dos anos 20, pelas mãos da Warner Brothers e o seu Vitaphone, marcando uma nova revolução. Até aí os filmes eram acompanhados por música ao vivo ou narração de diálogos. Muitos Actores e Actrizes consagrados do cinema mudo simplesmente "desapareceram" nesta nova fase. Muitos porque não se conseguiam adaptar a este novo tipo de representação, outros simplesmente porque o público não gostava das suas vozes reais. Chaplin terá sido um dos mais acérrimos resistentes ao cinema sonoro, afirmando que seria a destruição de uma arte. Aderiu em 1940 com o famoso "O Grande Ditador" e, aparentemente, não se arrependeu.
E, no ano de 1950, surge...o 3D. 1950, não é erro, 60 anos antes do boom actual, o 3D foi uma moda passageira nos cinemas. Durante 2 anos (52 a 54), os espectadores tiveram acesso ao, agora ultrapassado, 3D esteroscópico, que consiste na sobreposição de duas imagens distintas, cada uma com um filtro de cor diferente e de ângulos ligeiramente afastados. Os óculos fornecidos eram os famosos óculos de cartão com lentes vermelha e verde que muitos de vós certamente ainda guardam da saudosa colecção dos dinossauros. O abandono do 3D deveu-se sobretudo à necessidade de ter 2 cópias a ser projectadas simultaneamente e à obrigatoriedade da presença de dois projeccionistas rigorosamente sincronizados, caso contrário a visualização correcta do filme seria virtualmente impossível, causando, inclusive, intensas cefaleias aos espectadores.
O evoluir do cinema caseiro, através de Lcd's, Led's, sistemas sonoros cada vez mais xpto e, claro, pornografia romena, fez com que os gurus monetários de Hollywoodland re-inventassem o cinema 3D, esperando que o incauto espectador engula de boca aberta todos os pastelinhos de fezes liquidas contaminadas como obras primas da arte cinematográfica e assim pagar mais pelo bilhete com a desculpa que o 3D envolve mais gastos de elaboração. E assim aconteceu. "Filmes" como Jonas Brothers in concert, Hannah Montana, My Bloody Valentine, Step Up, Need for Speed já aí andam, e não é de admirar que uma futura mega-produção Portuguesa esteja na calha, afinal de contas, 3D e HD são sinónimo de qualidade e é isso que este Público gosta. Só de imaginar um filme como "Second Life" ou "Arte de Roubar" em radiante 3D passa-me logo a vontade de masturbar durante, pelo menos, 2 semanas e meia.
James Cameron foi o re-pioneiro responsável no que toca a reavivar estas andanças do 3D, levou-lhe 10 anos a desenvolver e aperfeiçoar a tecnologia correcta para filmar o seu Titanic dos anos 2000, Avatar. Com todo o sucesso atingido pelo filme ($$$$), os estúdios viram nesta maravilha a porta de saída para a crise instalada no seio (hihi) da indústria cinematográfica. Se até agora estávamos a ser bombardeados com dezenas de remakes merdosos, sem coerência estética e/ou argumentativa a partir deste momento seremos bombardeados com dezenas de remakes merdosos com essa mesma lacuna, mas em 3D. O mundo ficará um local melhor.

E chegamos agora ao ponto principal deste post, depois de uma pequena resenha histórica que me dediquei a pesquisar esta noite e decidi partilhar com todos os milhões que me seguem. O preço dos bilhetes 3D e a filha da putice da Lusomundo em cobrar ainda mais pelos mesmos a partir de agora.
Pois é, confrontado com os coloridos cartazes "traga os seus óculos 3D da próxima vez que nos visitar" imaginei, ignorante e inocentemente, que o preço final do bilhete teria um desconto, uma vez que traríamos os óculos usados numa sessão anterior, já que sempre me deram a desculpa que o preço inflacionado do bilhete 3D comparado com a sessão normal se devia ao fornecimento dos óculos "especiais" Real 3D ou lá o que é. Eis que, como se de um estaladão com um saco plástico cheio de urina e restos de sumo vaginal de puta de rua se tratasse, me informam que o preço inflacionado do bilhete se mantém MESMO que traga os óculos de casa e que, caso não se leve óculos do domicilio, o preço, além do acréscimo habitual, AUMENTA 50 cêntimos. Para além da vontade inata e imediata de colocar o escroto do "bilheteiro" dentro da máquina de pipocas, respirei fundo, contei até 142, pensei em unicórnios e arco-íris e perguntei qual era a razão para esta alteração inesperada de preços, convencendo-me que a culpa não seria deste adolescente de 17 anos que mal conseguia articular palavras de modo a formar uma frase minimamente coerente. A justificação é agora o elevado custo de produção dos filmes em 3D, cerca de 30% superior à dos habituais 2D.
Para além de não concordar e considerar esta jogada apenas mais um método papa-euros dos mesmos génios que introduziram os intervalos nas sessões para capitalizar mais um pouco à conta da venda dos contentores de pipocas e dos baldes de coca-cola (dos quais sou moderadamente dependente, guilty-pleasure), pesquiso um pouco mais acerca desta nova vaga de filmes "3D".
James Cameron levou 10 anos a aperfeiçoar a técnica, e subitamente aparecem dezenas de títulos em 3D.
A diferença é que a grande maioria, senão a totalidade, destes novos títulos, não são filmados com a mesma técnica e tecnologia que James Cameron utilizou. São sim filmados em 2d convencional e mais tarde tratados em computador por nerds do 3D e Cgi (ver aqui http://www.slideshare.net/clydd/2dto3dconvertedmovies). O resultado final é, em muito, pior ao apresentado pelo 3D "correcto", sendo que as diferentes perspectivas e noções de profundidade não são respeitadas. Apenas é 3D o que os senhores entenderem que o é...
Ou seja, vão chular as putas que vos pariram Lusomundo!
Para pagar a nerds dos computadores é arranjar umas meninas de Leste e cozinharem-lhes uns bifes que estão fartos de coca-cola e Big Mac's. Se atirarem lá para o meio um processador topo de gama fazem horas extraordinárias e cantam o hino nacional do Congo ao contrário.
Sempre a chular, sempre a roubar. É legal isto que fazem com a taxa extra de 50 cêntimos sobre um preço já inflacionado? Ninguém se queixa? Acham todos muito bem pagar quase 10€ por um bilhete com uns óculos balseiros?
Mais à merda do 3D...


Nota: o autor deste blog está-se bem a cagar para o acordo ortográfico e deseja aos percursores do mesmo uma morte lenta e dolorosa.

sexta-feira, junho 11, 2010

lol?

ÉVORA XXI: Como é que espera ver Évora daqui a cinco anos?

José Ernesto Oliveira: Espero vê-la com um complexo desportivo municipal construído, com uma verdadeira política municipal de habitação que baixe os seus custos e com claras preocupações sociais, uma política de requalificação do centro histórico que permita trazer gente jovem para dentro das muralhas e melhores condições de acolhimento às empresas. Tudo sito é possível concretizar em cinco anos e aqui fica o meu compromisso...

Novembro de 2001
in ÉVORA XXI – jornal de campanha do candidato do PS à CME.

sexta-feira, abril 30, 2010

Paredes finas.

Há uns dias encontrava-me, qual Super-Homem em plena fortaleza de solidão, tranquilo e sereno em meu quarto, apreciando uma bem cotada e recém-lançada pornografia Israelita quando, de rompante, começo a ouvir algo que rapidamente descortinei como uma cama a embater violentamente contra uma parede. Os meus vizinhos estavam a praticar O coito.
E aqui iniciei imediatamente um quadro de náuseas, com tonturas e suores frios a percorrem-me todo o corpo e nem as imagens contínuas, e muito bem realizadas, diga-se, das incessantes e profundas piçadas do Burro Judeu para com a pré-adolescente Israelita conseguiram atenuar o agoniante sentimento de repulsa.
Não me levem a mal, sou um gajo normal que aprecia ouvir uma gaja a ginchar como se a sua vida dependesse disso, à medida que a sua cavidade vaginal é atulhada de carne vascularizada. O problema meus amigos e amigas, é que na casa ao lado, o vizinho é homossexual, e a casa é conhecida na gíria como a "casa do engate"....ainda hoje durmo no chão do corredor com medo de ouvir "aquilo" de novo...

sábado, abril 17, 2010

Arte de roubar...tempo precioso a uma pessoa.

A ver pedaços do "arte de roubar" no tv cine...escorrem-me lágrimas pela face, derivado do degredo do cinema português e do seu esforço ridículo, irritante e infrutífero em se internacionalizar...Nicolau Breyner, Aldo lima, a Soraiazinha e outros que tais a zurrarem algo que se assemelha a um Americano do Sul do País com síndrome de Down, trabalhador numa feira ambulante e com 234 filhos em casa de 3 primas e 2 meias-irmãs.
Qual é a imagem que isto passa para o suposto mercado consumidor deste pedacinho de merda cinematográfica?
Façam comigo este exercício prático e totalmente lógico:
É-vos apresentado um filme inteiramente made nas terras do tio Sam, em que as matriculas dos carros são USA, o nome das ruas, os cartazes dos bares, os frigoríficos de cervejas, as cervejas, os placards das ruas, tudo, TUDO, made in USA, logo, em Americano. MAS, todas as personagens arranham um Português primitivo já só encontrado nas ex-colónias profundas. Ah, esqueço-me, tinham todos nomes tipicamente Americanos...
Voltando ao filme Arte de Roubar, numa clara e evidente cópia (mesmo que lhe chamem homenagem), o filme divide-se em capítulos e, lá está, apresentam-se todos em Português de Portugal, num filme todo ele falado em "Inglês".
É isto que é arte de roubar, uma tentativa merdosa e foleira de ser algo que nunca poderá ser, Qualidade.
Foda-se cinema Português, Foda-se Leonel Vieira, Foda-se produtores que financiaram este vómito fecalóide. Para a próxima entretenham-se a testar os limites do esfincter anal de cada um.
Obrigado.

quarta-feira, abril 14, 2010

Perder os 3.


Calhou em conversa esta expressão e depressa se chegou à conclusão que nenhum dos presentes conhecia o significado da mesma e se poderia ou não ter algum fundo de verdade.
A internet, felizmente, não serve só para pesquisar pornografia homossexual de pigmeus do Botsuana e Congo. E, sendo assim, partilho agora este pedaço de cultura não só popular mas pessoal.
Muitos já passaram por essa mágica e embaraçosa (nalguns casos) situação, uns com terna saudade, outros com assombrosa vergonha, outros ainda com total arrependimento. Só doí à primeira vez...

O três é um numeral cardinal, com marca masculina e singular. Quando, no entanto, se ouve a expressão popular os três, plural, remete-se imediatamente para o âmbito sexual. Perder os três significa perder a virgindade. Se procurarmos, porém, o significado de três num qualquer dicionário, dificilmente encontraremos referências que ultrapassem o âmbito numeral.
Deixemos a vista alongar-se pelos verbetes relativos a este algarismo e, lá mais para a frente, encontramos o verbete três-vinténs. É isso: quando se fala dos três, fala-se dos três-vinténs. Ora, o vintém é uma moeda, com primeiro curso em D. Manuel I. O tostão media aproximadamente 20 milímetros de diâmetro.
Ora, parece que lá para o norte de África havia o hábito de confirmar a virgindade das donzelas exactamente com uma moeda, que teria mais ou menos o tamanho do hímen. A donzela ganhava ou perdia os três vinténs, consoante fosse virgem ou não.
Por metonímia, a expressão deve ter voado de lá para cá, e por isso há quem perca os três. A explicação é interessante e lógica.

Também se pode encontrar referências a que as virgens usavam um colar de 3 vinténs ao pescoço e quando eram prometidas em casamento o retiravam para assinalar que já não eram casadoiras, logo perdiam os 3 vinténs.


Afinal os pigmeus é que a sabem toda...

Lobisomens e coisas que tais.


Aproveitando aquilo que se espera uma moda passageira, contrastando com os actuais super apaneleirados vampiros que brilham ao sol e "chupam" sangue só aos bichinhos para não magoar os humanos, surgem os horríveis e perigosos lobisomens. Ou, almejando a tecnicidade do assunto, licantropos, seres dotados da capacidade de "shape-shifting" (mudadores de forma soa um pouco rústico), após mordidos ou arranhados por um outro, alternando a forma humana com uma semelhante a um lobo gigante, espalhando o terror numa amalgama de sangue, tripas e desmembramentos.
Até aqui tudo bem.
Mas, e se estes sacos de pulgas gigantes se caracterizassem eles também pela rabichice?

A lua cheia brilha lá no alto, a sua luminosidade harmoniosa atravessa o fino vidro que separa Sebastião Roberto do mundo exterior, de súbito e sem nada que o fizesse esperar, a transformação tem o seu inicio. Ouve-se um grito de mulher apavorada...afinal de contas Sebastião Roberto não estava a contar com isto.
Por toda a extensão do corpo de Sebastião Roberto pêlo fino e sedoso (graças a Pantene Pro-V com uma fórmula especialmente concebida para restituir ao cabelo/pêlo o aspecto reluzente e acetinado que sempre desejou, devido aos seus agentes condicionadores que ajudam a controlar o cabelo encrespado) ocupa agora o lugar do que outrora era uma pele limpa e hidratada por cremes Cristian Lay com Aloe Vera e Figos de Madagáscar. O seu cabelo acompanha o crescimento e Sebastião Roberto apressa-se a colocar os rolos e marca imediatamente sessão com Moreno para um tratamento intensivo.
Ao observar a exponencial extensão das suas unhas, Sebastião Roberto apressa-se também a marcar consulta na esteticista do bairro para um tratamento endurecedor das mesmas, não vá ter que desmembrar alguém. Verniz, rosa-bebé com cheiro a Flores Silvestres.
Rasgar as roupas é demodé e é supér idade-média. Sebastião Roberto veste Lycra Spandex roxo por baixo dos seus trajes habituais, não vá o diabo tecê-las.
O nosso lobicha está pronto a atacar...

sábado, março 27, 2010

Soripmav!!!!!!!

Ultimamente tenho andado a pensar numa nova e inovadora série carregada de efeitos especiais e melodramas pessoais adequada e perfeita para as tardes da TVI.

Os personagens principais são chamados soripmav e a sua principal ocupação remete-se para andar de hospital em hospital a morder os ombros dos doentes com anemia. Mas, ao contrário dos tenebrosos e em voga vampiros, facultam o sangue em falta às suas "vítimas" (o seu grande poder é ser dadores universais).

Contrariando toda a rabichice de crepúsculos e outras paneleirices que tais, estes soripmav não se apaixonam por adolescentes ainda sem pintelhos na crica. São disformes, morbidamente obesos e repugnantes ao olhar. Com a luz do sol, em vez de parecerem uma mala cravejada de diamantes da Dior ou Dolce e Gabana saída do armário de um Vitor de Sousa ou duma Bel Dominique (criançada: google it), libertam diarreia por todos os poros e urinam descontroladamente.

Ao invés de conduzirem poderosos carros desportivos, fazem-se transportar numa Citroen 2 cavalos de 1982, com capota retráctil, para poderem sair a voar quando necessário.

Podem comer e beber à vontade (daí o desleixe na figura), sendo o seu prato predilecto sopa de beldroegas...beldoregas...baldroegas...caralho, aquela erva verde que se apanha no campo e se vende por ciganos ou emigrantes de leste nas bermas da estrada (oregãos também são a especialidade destas gentes...orégus?). Bebem vinho, mas só à refeição principal.

Vestem fatos de treino de poliéster. Para poderem mexer à vontade e estarem sempre prontos para ir a um centro comercial.

As suas músicas de eleição são êxitos da revista (estes soripmav são tugas de gema).

Aguardo contactos para guiões e direitos de autor...


quinta-feira, março 25, 2010

Zombies...

De há um tempo para cá algo tem vindo a incomodar-me mais que as habituais e incomodantes borbulhas que insistem em popular na região perineal, como se de um campo minado se tratasse.
Falo de pessoas que, sendo o assunto discutido férias, acabam por afirmar que "tempo demais de férias não é para mim, que depois fartava-me de estar sem nada para fazer" e aqui, após a vocalização do último verbo, incorre em mim uma urgência em espetar talheres de prata nos globos oculares destas ovelhinhas. Haverá pessoas mais formatadas para, exclusivamente, trabalhar? Que triste vida possuem estes animais para não conceberem a sua vida sem trabalho?
Mais, quando esta conversa surge em contexto de "se ganhasse o euromilhões". Nestes momentos apetece-me acorrentar as famílias destas acéfalas criaturas, regar-lhes as partes baixas com petróleo e colocar um idoso com Parkinson a "brincar" com uma caixa de fósforos, não fosse o tópico "euromilhões" idiota o suficiente...
Toleraria, amiúde, se argumentassem em caso de doença e consequente baixa. Por exemplo, uma Intervenção cirúrgica que implique a não realização de esforços físicos equivale a uma baixa de, vá lá, um mês. Sendo que na primeira semana as dores são mais intensas e ainda está "fresco"(dependendo da IC, claro), os restantes dias de baixa seriam considerados "férias". MAS, mesmo neste caso, apenas aceitaria o "fartava-me de não ter nada para fazer" se o ano fosse 1940 e, tal como agora, vivêssemos numa aldeia onde não se passa nada. A taxa de suicídios nessa altura era elevadíssima, porque, de facto, AS PESSOAS NÃO TINHAM NADA PARA FAZER! Ou trabalhavam no campo, ou no campo trabalhavam. A solução mais plausível em muitos casos era passar uma corda pela trave mestra da quinta e tentar planar, servindo-se do pescoço como auxiliar.
Não haviam computadores, não haviam torrents, não havia cinema, não haviam filmes por estrear que já se podiam "comprar" online, não havia Porno-grafia, e muitos etc´s.
Actualmente, não encontro sentido em alguém se fartar de não ter nada para fazer, acordem! Saiam da cápsula de apatia tão característica do povo Português nos últimos anos, ajam! O País está assim por demasiada incompetência acumulada. Explorem outras áreas, façam outras coisas, procurem, experimentem, Façam!
Pensar nestas coisas faz com que muita gente me evite nos dias que correm.

quarta-feira, janeiro 13, 2010

Os cuidados de excelência que tanto se apregoam...

...é esta a motivação:

A nova proposta do MS para a carreira de enfermagem é, no mínimo, humilhante, designadamente, porque:
 Volta a propor que a Posição 1, de Ingresso na Profissão, seja o Nível 11 (995,51) até 31.Dezembro.2013. Até esta
data os Enfermeiros ingressam na Profissão auferindo salário inferior ao actual (1 020,06);
 Volta a propor que o Ingresso na Profissão seja pelo Nível 15 (1 201,48), agora a partir de 1.Janeiro.2014 e para o
futuro;
 Na Categoria de Enfermeiro, diminui o Topo (Posição 10) do Nível 48 (2 900,72) para o Nível 43 (2 643,26);
 O Topo da Categoria de Enfermeiro fica “mais longe” do Topo da Carreira Técnica Superior;
 Na Categoria de Enfermeiro Principal, diminui o Nível da Posição 1, de 48 (2 900,72) para 43 (2 643,26);
 MS desvaloriza prestação de cuidados especializados e “acréscimos funcionais”;

 MANTÉM A PROPOSTA: NA TRANSIÇÃO PARA A NOVA CARREIRA, OS ENFERMEIROS MANTÉM O SEU
ACTUAL SALÁRIO … não há revalorização salarial;

Ou seja, sendo licenciados como todos os outros técnicos superiores, os enfermeiros vão passar a receber menos, quando, para além da inevitável e chatinha crise que teima em ficar por cá, o custo de vida aumenta.
Qual é então a motivação para se prestarem esses cuidados de excelência que tanto se falam nas campanhas e nos meios de comunicação?
Estes filhos da puta andam a gozar com quem?
Pelos vistos está prevista greve de 3 dias para o fim de Janeiro. Morra gente, haja algum caos...pode ser que resulte em algo..

sábado, dezembro 26, 2009

Mensagens de Natal...

O excelso cardeal Patriarca de Lisboa, D. José Policarpo, elegeu como principal preocupação na homilia de Natal a visibilidade dos que não procuram ou não acreditam em Deus: "Nos últimos tempos, entre nós, falou-se muito de ateísmo; exprimiram-se ateus, pessoas e organizações, defendeu-se o direito de ser ateu e de exprimir a negação de Deus", lamentou, acrescentando que "não é o facto de alguém não acreditar em Deus que faz com que Ele não exista".
O que este excelso empacotador anal de meninos de catequese se esquece é que "não é o facto de alguém acreditar em deus que faz com que ele exista..."

Este excelso devorador da miséria alheia, aproveitador de pessoas fracas de espirito, lamentou ainda também que "um povo cuja cultura foi profundamente marcada pelo cristianismo", como o português, e em que a grande maioria das pessoas são baptizadas celebre o Natal de forma cultural e não religiosa, não reconhecendo "em Jesus o Deus que o visita". Parece esquecer-se novamente que no tempo passado, esse profundamente marcado pelo cristianismo, a escolha não era uma hipotese. Hoje em dia as pessoas optam pensar por si próprias, não seguindo cegamente uma religião que lhes é forçada. Sejamos justo, há gente que prefere deambular com a pala à frente dos olhos, mas isso cada um sabe de si e ele sabe de todos...

quinta-feira, dezembro 10, 2009

Santa Claus, Pai Natal, Papai Noel, Senhor da Coca-Cola...

Ele já aí anda outra vez...pessoalmente, a música na língua Inglesa é morbidamente assustadora do ponto de vista de uma criança. Vamos fazer um exercício prático em conjunto. Eliminem o jingle da música que certamente conhecem de cor. Pensem num Freddy Krueger, ou num Candyman, ou em qualquer mass-murderer cinéfilo dos 80´s-90´s, na voz rouca, pausada, agora, com essa voz em mente, regressem até uma tenra idade compreendida entre os 7-12 anos e ouçam para vocês mesmos a seguinte frase:

He sees you when you're sleeping,
He knows when you're awake.
He knows when you've been bad or good,
So be good for goodness sake!

Aqui somos inicialmente informados que existe um stalker pedófilo com uma lista detalhada do que fazemos, onde estamos e a que horas do dia. Nitidamente contrapondo com a imagem do senhor simpático que nos vai dar presentes...

So...You better watch out,
You better not cry
You better not pout,
I'm telling you why.

Santa Claus is coming to town.


Basicamente, o que podemos aferir daqui é que, por muito que se tente, não é possível escapar deste predador sexual ainda por identificar no programa de televisão destinado ao mesmo. Quer queiramos quer não, ele vem à cidade...à nossa procura.




As crianças sabem bem...e agora entendo o seu medo..

Nem sei o nome desta merda em Português de Portugal

Deambuland pela cidade, vejo-me defrontado com um, à falta de termo melhor, "bufador de folhas deste sítio x para aquele ali à frente y". E que merda de aparelho vem a ser este? Qual é a puta da finalidade em soprar folhas uns metrinhos mais à frente? Quem foi o génio criativo por, um dia, ao olhar para folhas indagou para si mesmo "este montinho aqui está giro e fofinho, mas se eu arranjasse maneira de o passar daqui para ali, sem grande ciência envolvida, a minha vida melhoraria exponencialmente e choveriam vaginas do céu".
As pessoas que usam este aparelho são as mesmas que limpam o cú depois de cagar e voltam a enrolar o papel no rolo para uma próxima vez...